Lucidez

E foi naquele instante que me vi dominada por uma intensa sede de poder.

Sabia que podia, que era maior que toda aquela mediocridade que me cercava, melhor que todo aquele pensamento auto destrutivo, de pequenez.

Tendo em vista meus inúmeros fracassos, me perdi em meio às derrotas, às vezes inquietantes que me diziam que eu não podia.

Foi então que agradeci por cada merda que eu vivi, elas me trouxeram até aqui, não há aprendizado sem fracasso ou dor.

O sofrimento me acompanhou vida afora, eu sem saber permiti que ele tivesse força e voz.

Caminhei por tentações e vícios, me vi dominada pelo anseio de ser aceita, mesmo não querendo, não aceitando que era aquilo que eu estava inconscientemente fazendo, tentando me adequar em algum grupo, lugar, vida.

Me entorpeci de homens, seus fluidos, seus prazeres, que por vezes foram meus também, me preenchi de vazios alheios.

Adormeci dentro de mim mesma, por anos.

Não preciso da aceitação do outro, preciso me auto aceitar, ser feliz com aquilo que tenho e sou.

Eu, dotada de anseios, ambiciosa, querendo mais, melhor, maior, algo que transcede o meu eu, desafios, mostrar enfim todo meu poder.

O poder de ser mulher, o poder de ser feminina, o poder de ser forte, o poder de ser mãe, o poder de ser melhor que minhas limitações, o poder de superar, o poder ser ser única, de ser diferente em meio a tantos meio termos, em meio a tanta gente morna. Defender aquilo que acredito, mesmo que isso fira a opinião do outro, defender a minha verdade, a minha vontade, o meu poder.

Deixo o passado de fracassos para trás, lá de trás eu quero somente impulso e meu eu foda de volta, as minhas fraquezas deixo pra lá, elas só pesam.

E então, me despi do meu passado para dar lugar ao presente, para o futuro, abrir caminhos, abrir espaços, limpar a alma e a mente.

Deixando de viver esperando, começando a viver fazendo.

O tempo não para, mas eu parei por anos, cansei disso, decidi caminhar junto com o tempo, fazendo acontecer, criando novas histórias, trilhando novos caminhos, mais reais, mais felizes, mais eu.

E quando o medo bater, a dificuldade assolar, sorria e lembre-se que tudo é passageiro, isso não define quem você é. Não deixe que interfiram

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s